Piaui Hoje





0

Quer morrer

Aluna estuprada dentro da sala de aula

Atualizado em 09/11/2012 - 15:12 h
Tamanho da fonte: 15    
Aluna afirma que foi forçada a fazer sexo oral com alunos na sala de aula da escola onde estuda, na Tijuca Aluna afirma que foi forçada a fazer sexo oral com alunos na sala de aula da escola onde estuda, na Tijuca (Foto: Guilherme Pinto/Extra)
A Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV) e a Secretaria municipal de Educação investigam a denúncia de que uma estudante de 13 anos foi forçada por cinco colegas do 7 ano do ensino fundamental — todos também menores de idade — a praticar sexo oral em dois deles, dentro da sala de aula, numa escola municipal na Tijuca. O caso foi registrado na polícia como estupro.

De acordo com a estudante, por volta das 15h do último dia 16 ela estava sentada numa cadeira no fundo da sala de aula, durante um tempo vago. De repente, uma menina e quatro meninos, com idades entre 13 e 15 anos, chegaram e a empurraram, ordenando-lhe que praticasse sexo oral nos meninos.

Puxando a vítima pelos cabelos, a garota levou sua cabeça até as partes íntimas dos alunos. Quando ia praticar o ato no terceiro colega, ela conseguiu correr.

"Para com isso, não quero! Isso é nojento", foi o que a vítima diz ter gritado. Depois do fato, a menina que teria participado do abuso foi até a diretoria e contou que a colega praticou sexo oral nos meninos por vontade própria — sem informar sobre a agressão.

A mãe da garota abusada diz não ter sido comunicada pela escola sobre o episódio. Desesperada, a menina chegou a escrever uma carta de suicídio, descoberta por um professor.

Sindicância foi aberta

Através de nota, a Secretaria Municipal de Educação informou que a 2 Coordenadoria Regional de Educação (CRE) abriu uma sindicância administrativa para apurar o caso. A assessoria de imprensa do órgão afirma que "A diretora da unidade escolar procurou a 2ª CRE tão logo soube do ocorrido". Diz ainda que "Os alunos envolvidos no caso, a mãe da adolescente e a diretora já foram ouvidos, preservado o sigilo necessário".

De acordo com o delegado Marcelo Maia, titular da DCAV, o caso está sendo investigado como estupro de vulnerável. A ocorrência foi registrada na delegacia em 31 de outubro. Alguns dos acusados já foram ouvidos. O delegado informou ainda que, até o início da próxima semana, o inquérito deverá ser encerrado.

Entrevista com a mãe da vítima

Como a senhora soube do que aconteceu?

Vi que ela estava estranha, quis ficar na casa da avó, matou aula. Aí, liguei para o colégio e disseram que ela não ia há três dias. Eles não me contaram nada. Tinham de ter me contado na hora. Só soube por causa da carta (de suícidio). Veio uma pessoa da escola trazê-la em casa no dia (do fato). Fui até a escola saber o que tinha acontecido. Me disseram "Mãe, fica tranquila, que foi só um namoro". Depois, pressionei minha filha e ela acabou contando tudo.

Como sua filha está?

Quando ela saiu do psicólogo (que a entrevistou na delegacia), ele me disse que ela precisava de apoio, para não deixá-la sozinha, porque ela estava com um pensamento suicida. Ela citou vários jeitos de como poderia se matar, como se jogar de um ônibus em alta velocidade, se jogar da varanda.

Qual punição a senhora espera para os menores?

Não sei. Não consigo pensar. Qualquer punição é pouca para o que minha filha vai passar.

Como é para uma mãe saber de um fato desses?

Não sei nem o que pensar.


Fonte: Extra  |  Editor: Paulo Pincel

Comentarios


ULTIMAS NOTÍCIAS


Assine nosso newsletter




© 2014. | Piauí Hoje | Todos os direitos reservados. Emails para contato: redacao@piauihoje.com - comercial@piauihoje.com - financeiro@piauihoje.com Rua Dr. Ocílio Lago - 1197 - Ininga - Teresina(PI) - CEP - 64048-025 - Telefones do Piauí Hoje: (86)3237-1000 e (86)9987-9655