Piaui Hoje





Tragédias

Ano de cão em Teresina

Atualizado em 25/10/2011 - 18:30 h
Tamanho da fonte: 15    
Hoje à tarde ainda havia fogo no segundo andar do bloco C, onde funcionava a Secretaria de Saúde Hoje à tarde ainda havia fogo no segundo andar do bloco C, onde funcionava a Secretaria de Saúde (Foto: Paulo Pincel)
Um dia antes da divulgação do relatório "inócuo" da Cico sobre as circunstâncias  da morte de Fernanda Lages Veras, Teresina assistiu a mais uma tragédia: o incêndio no Centro Administrativo, que poderia ter causado mortes e mais dor para quem trabalhava ali há quase três décadas.  Perto de completar 24 horas desde o início do incêndio que destruiu o primeiro e o segundo pavimentos do bloco C do Centro Administrativo de Teresina, onde funcionavam as Secretarias da Saúde e de Desenvolvimento Tecnológico e a Controladoria Geral do Estado, ainda havia focos de fumaça e fogo no local. Os seguranças e policiais militares que faziam a guarda do prédio incendiado afirmaram que não existia risco das chamas se propagarem. Toda área do incêndio permanece isolada. Várias viaturas dó Ronda Cidadão da PM estão no local fazendo a segurança do que restou das instalações. O térreo permanece quase intacto, exceto pela água usada pelos Bombeiros que escorreu em alguns pontos. Os peritos das Polícias Federal e Civil realizaram inspeção em toda extensão do edifício, buscando identificar a causa do incêndio.

Controladores avisados

O governador Wilson Martins já informou aos Ministérios Públicos Federal e Estadual, à Controladoria Geral da União, Ministério da Saúde, Tribunal de Contas do Estado e órgãos de controle público, sobre o incêndio ocorrido no bloco C, segundo e terceiro pavimentos do Centro Administrativo, que destruiu toda a documentação referente a contratos e convênios, inclusive alguns que estavam sendo alvos de auditorias.

Na terça-feira, Wilson Martins iria inaugurar a estrada Floriano-Itaueira, com 102 quilômetros de extensão (Foto: CCom)
Uma explicação


Durante entrevista coletiva, Wilson Martins confirmou que a Polícia Federal, a seu pedido, vai abrir inquérito para apurar as causas do incêndio nas Secretarias de Saúde e de Desenvolvimento Tecnológico e na Controladoria Geral do Estado (CGE). "Não vamos trabalhar com hipóteses, mas é preciso ter uma explicação para o incêndio já que existem convênios importantes e parcelas significativas de recursos federais. A Polícia Federal vai investigar as causas e ajudar na reconstituição dos documentos", adiantou Martins. 

Agenda suspensa

Wilson Martins suspendeu a agenda de inaugurações, que incluía a entrega de um trecho de 102 Km de rodovia entre Floriano e Itaueira, marcado para o meio-dia desta terça-feira (25), Wilson Martins preferiu permanecer em Teresina para acompanhar o trabalho da perícia e para dar apoio aos servidores dos órgãos afetados pelo incêndio.

A secretária Lilian Martins não conteve as lágrimas ao ver o fogo destruindo a Sesapi (Foto: Yala Sena/Cidadeverde)
Lágrimas de Lilian

 
A deputada e secretária de Saúde, Lílian Martins, ficou emocionada ao chegar ontem ao local e perceber que dois dos três andares onde funcionavam a Sesapi já não existiam mais. Lílian não conteve as lágrimas, mesma reação dos servidores que chegaram hoje para trabalhar e não tinham conhecimento da dimensão do estrago na sede da Secretaria de Saúde.

Deputados solidários

Vários deputados estaduais se manifestaram hoje em solidariedade aos secretários Lílian Martins e Warton Santos, e ao controlador-geral do Estado, Luiz Filho, bem como aos servidores. A oposição, como não podia ser diferente pediu a apuração rigorosa das causas do incêndio, embora elogiando a atitude corajosa do governador Wilson Martins de pedir à Polícia Federal que faça essa investigação, já que a Polícia Civil, a quem deveria competir a apuração das circusntâncias do ocorrido, estaria com a imagem “fragilizada” – palavras do deputado Firmino Filho – por não ter conseguido chegar a conclusão alguma no inquérito que apurou7 a morte de Fernanda Lages, ocorrida há dois meses, numa construção na zona Leste de Teresina.

Chamas consomem o segundo andar, onde funcionavam duas secretaria de Estado (Foto: Meio Norte)
Operação rescaldo

De acordo com os primeiros levantamentos, feitos pelo Corpo de Bombeiros, o fogo chegou perto dos mil graus Celsius, o que seria suficiente para comprometer toda a estrutura do edifício. O Crea (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura) vai ser chamado para avaliar os danos e recomendar as providências, inclusive a interdição do local. O coronel Francisco Santos, comandante-geral do Corpo de Bombeiros, afirmou que o incêndio de ontem foi o maior já ocorrido no Piauí. As várias viaturas dos Bombeiros usaram cerca de 200 mil litros de água para debelar as chamas, mesmo sem haver hidrantes na região do Centro Administrativo.

Eliardo Cabral X Paulo Nogueira (Foto: Montagem/ Paulo Pincel)
Circo dos horrores


Decepção é a palavra que resume o opinião do Ministério Público Estadual e sentimento dos amigos e familiares da estudante de Direito, Fernanda Lages Veras, encontrada morta em circunstâncias misteriosas numa construção na zona Leste de Teresina no dia 25 de agosto.  Passados dois meses de investigação, a CICO (Comissão de Investigaçação do Crime Organizado), não conseguiu apontar se houve assassinato ou se Fernanda cometeu suicídio - hipótese refutada com veemência pelos promotores de Justiça Eliardo Cabral e Ubiraci Rocha ao longo do dia em entrevistas da sede da Procuradoria Geral de Justiça, desde a divulgação do resultado do inquérito pela Polícia Civil, que não apontou motivação ou suspeitos da morte de Fernanda Lages.

Crime sem suspeito


"É triste, estamos decepcionados. Pensamos que seria uma coisa conclusiva, mas isso não aconteceu", disse Cassandra Lages, tia de Fernanda. Nesta quarta-feira, a família e os amigos da estudante vão realizar uma manifestação pacífica, a partir das 11h, na Avenida Frei Serafim, pedindo Justiça e cobrando das autoridades do Governo do Estado uma providência para que a morte de Fernanda Lages não seja mais um crime impune, a ser esquecido.

Palavra do delegado

"A polícia já concluiu o inquérito, estamos convictos que esgotamos as possibilidades de trabalho, apesar de haver laudos pendentes. Formalizamos novamente o pedido para o Ministério Público que apontem os nomes, que eles peguem as provas produzidas pela Polícia e somem a deles e apresentem os culpados", admitiu o delegado Paulo Nogueira, que presidiu o inquérito.

Os promotores Eliardo Cabral e Ubiraci Rocha (Foto: Meio Norte)
Resposta do Ministério Público


“Da forma que o inquérito está nos não podemos trabalhar. Um inquérito que a conclusão não tem conclusão não serve. Se os delegados entenderam que haviam pendências deveriam ter solicitado prorrogação do prazo de conclusão”, sugeriu o promotor Ubiraci Rocha. “Meu sentimento é de indignação. Não é possível que aquela tida como maior investigação do Piauí não tenha uma conclusão. O inquérito será devolvido para que os trabalhos sejam continuados. Queremos que a polícia aponte o nome de um suspeito”, acrescentou o promotor em entrevista na TV.

Eliardo comedido

“Eu tenho convicção de Fernanda foi assassinada. Esse inquérito parece um paletó sem manga. E quem usa um paletó sem manga? Ninguém! A tese de suicídio queria dar um destino para o processo: o arquivamento. Isso não vamos aceitar", emendou Cabral. 


Advogado na cola

O advogado Lucas Villa prometeu acompanhar o trabalho do Ministério Público, que recebeu o inquérito e tem dez dias para se pronunciar. "Vamos acompanhar e a família tem que ajudar e ficar à disposição. A família vai cobrar. O relatório é uma batata quente que a polícia queria se livrar e passar para o Ministério Público", acusou. "Os delegados da Cico disseram que foi o melhor relatório de inquérito produzido até hoje, mas isso não procede, se fosse realmente bom, teria indiciado os culpados no seu final. Alguns procedimentos foram errados desde o primeiro momento após o crime e não consideramos que as reconstituições realizadas, foram importantes nas investigações", reclamou Villa.

Prefeito de Teresina, Elmano Ferrer (Foto: Paulo Pincel)
Elmano inocente


Por cinco votos contra um, o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí inocentou hoje (25) o prefeito de Teresina, Elmano Férrer (PTB), na ação que pedia a cassação do seu mandato por ele ser parte envolvida na contratações ilegal - fora do prazo legal das eleições de 2008 - de 170 servidores da prefeitura. Elmano Férrer era vice-prefeito de Sílvio Mendes (PSDB), que teria feito as contratações fora do período permitido por lei. Com a renúncia de Síulvio, Elmano passou a ser responsabilizado pelas contratações e, portanto, passível das sanções previstas na lei eleitoral.

Cinco a um

O juiz Jorge da Costa Veloso, relator do processo, voto pela perda do mandato do prefeito de Teresina. O desembargador Haroldo Rehem e os juízes Sandro Helano Santiago, Viana Filho, José Acélio Correia e Manoel Dourado votaram pela absolvição. Elmano Ferrer foi informado no começo da tarde sobre a decisãop do TRE-PI e vai se pronunciar sobre o resultado.
 
Destruição de um lado a outro do Centro Administrativo... (Foto: Paulo Pincel)
Saideira testemunhal


Passava das três da tarde e tivemos a curiosidade de visitar o que restou da Secretaria de Saúde - na verdade o bloco C era ocupado quase que completamente pela Sesapi. Num pedacinho do prédio funcionavam a  Controladoria Geral do Estado e a Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico. O ar impregnado de fumaça cheirava a madeira queimada e molhada, como uma fogueira apagada. Guardando os escombros, seguranças pareciam perdidos, os
... depois do incêndio da noite de segunda-feira (24) (Foto: Paulo Pincel)
militares do Ronda Cidadão, sentados, contemplavam o estrago. Para quem trabalha no Centro Administrativo e conheceu o bloco C antes do incêndio, a imagem é desoladora. Quem conviveu quase uma existência inteira naquele ambiente de trabalho não  conseguiu disfarçar a tristeza, nem esconder as lágrimas. Pelos corredores, nas salas em frente, quem chegava para trabalhar sentia o impacto da destrruição e a reação era a mesma: o choro. Não à toa, a deputada e secretária de Saúde, Lilian Martins, derramou as suas ao chegar ontem ao Centro Administrativo onde, até um pouco mais cedo, havia um gabinete e sua equipe trabalhava.    
 

Sobre a coluna "Pinceladas" Bacharel em Jornalismo (UFPI) e especialista em Marketing e Jornalismo Político (IEMP/Camilo Filho), Paulo Pincel escreve sobre todos os assuntos, com opinião crítica.

Comentarios



Assine nosso newsletter




© 2014. | Piauí Hoje | Todos os direitos reservados. Emails para contato: redacao@piauihoje.com - comercial@piauihoje.com - financeiro@piauihoje.com Rua Dr. Ocílio Lago - 1197 - Ininga - Teresina(PI) - CEP - 64048-025 - Telefones do Piauí Hoje: (86)3237-1000 e (86)9987-9655