VERBA CORTADA

Obras do Projeto Marrecas estão paradas desde 2017; governador cobra a retomada

Quase 80% das obras do projeto já estão concluídas, gerando desenvolvimento, emprego e renda no semi árido piauiense


Gil Carlos, Margareth Coelho, Rejane e Wellington Dias exibem com orgulho as uvas de São João do Piauí

Gil Carlos, Margareth Coelho, Rejane e Wellington Dias exibem com orgulho as uvas de São João do Piauí Foto: CCOM

Às vésperas do 7° Festival da Uva, em São João do Piauí, que ocorre neste fim de semana (dias 15 e 16), o governador Wellington Dias busca saídas junto a representantes do Governo Federal para a retomada das obras do Projeto de Irrigação Marrecas-Jenipapo, paradas desde o segundo semestre de 2017, por causa do corte de recursos.

Trata-se a primeira grande obra do Governo Federal, através do Ministério da Integração Nacional - MIN, e da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) no estado do Piauí. Quase 80% das instalações do projeto estavam prontas quando foram paralisadas as obras.

Demonstrando interesse no projeto, o governador Wellington Dias se reuniu com técnicos e autoridades do Ministério do Desenvolvimento Regional e da Codevasf para apontar saídas e tentar ajudar na conclusão das obras.

A paralisação dos serviços causa prejuízos a todos. Muitos recursos já foram aplicados, ajudando no desenvolvimento do Estado, principalmente na geração de emprego e renda para em toda aquela região. Centenas de agricultores e produtores rurais agora tem como sustentar suas famílias e melhorar de vida.

Durante audiência com autoridades e técnicos do Governo Federal, o governador  piauiense propôs ajudar na conclusão do projeto se responsabilizando em construir a subestação de energia elétrica. "Mas falta o Ministério do Desenvolvimento Regional/Codevasf investir cerca de R$ 30 milhões", calcula Wellington Dias.

A uva fez sucesso logo nos primeiros anos do Assentamento Marrecas

HISTÓRIA - As primeiras obras federais naquela área iniciaram em 1994, através do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - INCRA, para implantação do assentamento Marrecas, próximo onde está instalada também a Barragem de Jenipapo, de onde sai a água para colocar em funcionamento projetos de irrigação.

O Assentamento Marrecas possui 321 famílias assentadas numa área de 10,5 mil hectares. A produção de uvas, iniciada em 2003, envolveu as famílias assentadas, o Incra e a Codevasf). O Incra viabilizou a área para produção, estrada, rede elétrica e um poço. A Codevasf, por sua vez, investiu em assistência técnica, instalação da área irrigada, expansão da rede de energia e equipagem do poço.

Em 2008 houve a Primeira Feira da Uva de São João do Piauí, que depois se transformou no que é hoje o "Festival da Uva", é realizado pelo governo estadual, em parceria com o Incra, Codevasf, Prefeitura de São João do Piauí, entre outros órgãos.

Os investimentos da Codevasf para o Projeto de Irrigação de Marrecas são da ordem de R$ 50 milhões. O objetivo é ampliar a área irrigada para aumentar a produção da fruticultura. Quando cincluído, o projeto beneficiará 13 municípios piauienses. Atualmente, além de uvas, os moradores do assentamento produzem manga, caju e goiaba.

Parreirais em São João do Piauí mudam a paisagem

POTENCIAL - O projeto Marrecas-Jenipapo conta atualmente com 321 famílias assentadas e cerca de 154 hectares irrigados. Uma parte é dedicada à fruticultura irrigada, tipo microaspersão, com manejo de culturas como goiaba, uva e mamão; outra parte tem irrigação por aspersão fixa, onde são cultivadas culturas de ciclo temporário, como feijão, milho, mandioca, melancia e abóbora.

Dados da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural - Emater/PI, revelam que, atualmente, a produção chega a 2,5 mil toneladas anuais de alimentos, com destaque para milho verde (398 toneladas ao ano), macaxeira (350 toneladas), melancia (330 toneladas) e goiaba (325 toneladas).

Segundo a Emater, um terço da produção é comercializada por meio dos programas de compras públicas do governo federal, como os de merenda escolar e das centrais de abastecimento. O restante é vendido no mercado municipal de São João do Piauí, em hotéis, mercearias e em municípios vizinhos, como Canto do Buriti e Simplício Mendes.

BENEFICIADOS - O projeto de irrigação de Marrecas levar água do rio Piauí, a partir da barragem Jenipapo, aos lotes familiares, com vazão de 1,23 metro cúbico por segundo. Estudos de viabilidade indicaram que a produção agrícola do município deverá subir de 5.684 toneladas por ano para 17.584 toneladas, e a renda média anual deve subir de R$ 822 (do início) para R$ 5,5 mil.

Ao todo, o projeto deverá beneficiar a população de outros 12 municípios do entorno: Simplício Mendes, Dom Inocêncio, Campo Alegre do Fidalgo, Coronel José Dias, Socorro do Piauí, Ribeiro do Piauí, Nova Santa Rita, Paes Landim, Capitão Gervásio, Bela Vista, Pajeú do Piauí e João Costa.

Próxima notícia

Dê sua opinião:

Sobre a coluna

Luiz Brandão

Luiz Brandão

Luiz Brandão é jornalista formado pela Universidade Federal do Piauí. Está na profissão há mais de 35 anos. Já trabalhou em rádios, TVs e jornais. Foi repórter das rádios Difusora, Poty e das TVs Timon, Antares e Meio Norte. Também foi repórter dos jornais O Dia, Jornal da Manhã, O Estado, Diário do Povo e Correio do Piauí. Foi editor chefe dos jornais Correio do Piauí, O Estado e Diário do Povo. Atualmente é diretor de jornalismo do portal www.piauihoje.com

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Enquete

O STF deve afastar Deltran Dallagnol da chefia da Lava Jato?

ver resultado