Olhe Direito!
OLHE DIREITO

O tamanho do sucesso

A fama, assim, parece um destino ao qual se fadam todas as pessoas


Seu Abraão

Seu Abraão Foto: Divulgação

A frase mais do artista pop norte-americano Andy Warhol diz que no futuro todas as pessoas seriam famosas por 15 minutos. Esse futuro já chegou, embora nem todo mundo tenha usufruído da fama que previu o pintor, embora seja fato de que é cada vez mais frequente o número de pessoas que são atingidas pela fama como se abalroadas por um carro na rua.

A fama, assim, parece um destino ao qual se fadam todas as pessoas. Bem, mas fama não representa o sucesso e na imensa maioria das vezes, pessoas que fazem sucesso não são necessariamente famosas. Aliás, há casos, e não são poucos, de pessoas que ficam famosas por fracassar e não por uma ação exitosa.

Desse modo, parece-me bastante razoável dizer que fama não é sucesso. Mais ainda afirmar que o sucesso não se mede pela amplitude do conhecimento que uma pessoa tem. Mais adequado é ver o sucesso como uma permanente capacidade de obter êxito naquilo que fazemos, não importando a medida disso.

Vejamos um caso realmente próximo de nós, o de Seu Abrahão. Desde 1957 ele vende seus sucos no mesmo estabelecimento comercial. Pelo menos três gerações de teresinenses consumiram ou ainda consomem seus sucos e graças a esse continuado êxito, ele construiu uma boa reputação (patrimônio imaterial) e um patrimônio físico.

Seu Abrahão, como Seu Cornélio do pão de queijo, é um empreendedor de sucesso, na medida deles, provavelmente a mais certa para o que eles projetaram na vida. Há centenas, talvez milhares de pessoas cujo êxito esteve restrito no tamanho, mas foi enorme porque se manteve por anos. Assim, sucesso é muito mais uma questão de continuada sucessão de acertos ou um acerto reiterado ao logo do tempo, que a medida do conhecimento de uma pessoa, de um produto ou de um serviço.

Neste ponto, é igualmente razoável a compreensão de que o sucesso não se pode confundir com a fama, tampouco deve ser medido pela extensão territorial, pelo volume de dinheiro ganho ou de pessoas que o reconhecem. O sucesso muito mais é a estabilidade ou a sustentabilidade de ações bem-sucedidas em longo tempo.

Os que fazem muita questão de serem mais conhecidos que bem-sucedidos podem estar embalados por um pecado, o da vaidade, capaz de levar a pessoa a achar que a luz deve ser buscada a qualquer preço, sem se dar conta de que frequentemente precisamos agir com parcimônia para que a luz não nos ofusque a visão e as ideias.

Próxima notícia

Dê sua opinião: