SAÚDE

Alimentos mais saudáveis e naturais estão entre as dicas de saúde da OMS para 2020

Para começar o ano mais saudável, Organização Mundial da Saúde deu dicas de como manter uma alimentação mais saudável, aliada a uma vida menos sedentária


Alimentos saudáveis

Alimentos saudáveis Foto: Reprodução

A Organização Mundial da Saúde (OMS) sugeriu dicas de como ter uma alimentação mais saudável em 2020. A ideia é reduzir o índice de doenças causadas pelo sedentarismo ou pela má alimentação, como obesidade, doenças cardíacas e diabetes, e incentivar a população a adotar hábitos mais saudáveis. 

A primeira das dicas é consumir uma variedade maior de alimentos. Segundo a Organização, nenhum alimento, exceto o leite materno, contém todos os nutrientes necessários para que o corpo trabalhe corretamente. Por isso, a OMS destaca a importância de se consumir alimentos básicos, como arroz, trigo e batatas, combinados com legumes, vegetais frescos, frutas e alimentos de fonte animal. A dica é dar preferência para alimentos integrais, que contêm grande fonte de fibras e aumenta a saciedade. 

A OMS sugere, também, que haja uma redução no consumo de alimentos com alto teor de açúcar, sal e gordura. Eles podem ser substituídos por vegetais crus, nozes sem sal e frutas secas, por exemplo. 

A redução no consumo de sódio, aliás, é umas das dicas da Organização, que alerta para o aumento da pressão arterial. O alto consumo de sódio é fator de risco para doenças como derrames e doenças cardíacas. A recomendação da OMS é de 5 miligramas diários, o equivalente a uma colher de chá, e evitar alimentos processados e enlatados. 

Outra dica é reduzir a quantidade de certas gorduras e óleos. Em excesso, eles podem aumentar o risco de obesidade, derrame e doenças cardíacas. O consumo de carnes brancas, alimentos mais naturais e cozidos e assados, em vez de fritos, são algumas sugestões.   

E para uma vida ainda mais saudável, a Organização Mundial da Saúde alerta que a ingestão de grandes quantidades de álcool aumentam a frequência de ferimentos imediatos e a longo prazo, como doenças no fígado, câncer e doenças mentais. Segundo a OMS, não há um nível seguro de ingestão, mas a dica é que pessoas que realizem atividades que exijam atenção, como dirigir e operar máquinas, não bebam. Grávidas e lactantes também não podem ingerir álcool. 

Fonte: Agência Rádio Mais

Próxima notícia

Dê sua opinião: