ZONA RURAL DE TERESINA

Moradores da Zona Rural de Teresina denunciam venda de água distribuída pela PMT

O problema ocorre no povoado Taboca, onde atualmente enfrenta um desperdício com o vazamento de uma caixa d'água


Moradores da comunidade Taboca denunciam desperdício de água

Moradores da comunidade Taboca denunciam desperdício de água Foto: Foto encaminhada ao Piauí Hoje

Moradores do Povoado Taboca, na região da Cacimba Velha, zona rural Leste de Teresina, denunciam que precisam pagar o valor de R$ 10 para terem água nas torneiras. O abastecimento de água na região é realizado pela Prefeitura de Teresina, por meio Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR). Os moradores denunciam ainda que a água só vai para os sítios e para onde tem piscina. Além disso, a região está sofrendo com a falta d'água há mais de uma semana devido a um vazamento na caixa d'água. A água que não chega às torneiras está sendo desperdiçada, alagando até os terrenos.

O pai de Edina Martins é uma das pessoas que mais está sendo prejudicada com a falta d'água em casa. Edina relata que seu pai é idoso, tem problemas de saúde e necessita muito de água. "Meu pai é doente, ele tem duas bolsas, uma de colostomia e outra de urina. Ele depende muito de água, para banhar, lavar as bolsas e tudo, mas nunca chega água para ele. A água só chega a noite para ele, quando a gente junta para realizar as atividades", denuncia Edina.

A água vem de um poço tubular que foi perfurado pela Prefeitura de Teresina, que também colocou uma bomba e caixa d'água para a água ser distribuída para toda a região, mas de acordo com os moradores só tem água nas torneiras quem paga o valor de R$ 10 para um homem que consegue direcionar a água a determinada casa.

"Aqui é sofrimento demais, muito descaso. Meu pai e minha mãe sofrem com a falta dessa água. Meu pai tem é 93 anos e precisa muito da água. Tem muitos idosos na região que sofrem com isso. Olhem a situação do meu pai! As casas antes da casa do meu pai têm água porque as pessoas dão dinheiro e o homem coloca, mas com esse vazamento não tem água em lugar nenhum", reclama Edina.

Água ainda é coisa rara em pleno 2019 - Os relatos de moradores do Povoado Taboca refletem o descaso e a falta de fiscalização dos órgãos competentes. O abastecimento de água nas zonas rurais é um direito conquistado pelos moradores após lutarem bastante para conseguir. Alguém está tirando vantagens ao cobrar um valor por um serviço que é distribuído gratuitamente. Os relatos abaixo são de dois moradores que não tiverem os nomes revelados. 

"A Prefeitura têm que tomar uma providência! É uma molecagem aqui na Taboca. Pra que fecharam essa bomba, cercaram o terreno para quê? Ficam cobrando R$ 10 de todo mundo que quer ter água. Fecha a água para uns e abrem para quem pagam". 

"Eu peço até pelo amor de Deus para virar essa água para cá, para dar um banho no meu pai, lavar as roupas dele e para a nossa necessidade. Façam isso por nós! Estamos com quatro dias carregando água do chafariz e a gente não aguenta mais carregar água, é muito problema de coluna. E tem água nas torneiras para os outros, por que não tem para nós também? Não somos mais desmerecedores  que outros não. Peço pelo amor de Deus, botem essa água para vir para nós!".

Outro lado - O Piauí Hoje procurou a Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR) e foi informado que o órgão vai enviar uma equipe amanhã (13) ao Povoado Taboca para verificar a situação, tanto do vazamento da caixa d'água quanto da questão de redistribuição da água, além de tomar as providências cabíveis.

A SDR também informou que os moradores podem entrar em contato diretamente com a Gerência de Saneamento da SDR no número 3215-2914 para comunicar suas demandas. 


Moradores tentam consertar o vazamento
Local onde ocorre o vazamento de água

Próxima notícia

Dê sua opinião: