CINEMA

'Bacurau terá sessão especial nos Cinemas Teresina com presença dos diretores

Kleber Mendonça e Juliano Dornelles conversarão com o público após a exibição


Kleber e Juliano

Kleber e Juliano Foto: Ascom

Dia 31 de agosto, às 19h, os Cinemas Teresina realizam mais uma Sessão com Debate. Os convidados desta edição serão os diretores Kleber Mendonça e Juliano Dornelles, que irão conversar com o público teresinense sobre o premiado filme "Bacurau".

O filme ganhou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2019. É a primeira vez que o Brasil ganha na categoria, a terceira mais importante da competição oficial do evento.

Bacurau é um filme de aventura e ficção científica. Em um futuro próximo, o pequeno povoado do sertão brasileiro, Bacurau, dá adeus a Dona Carmelita, mulher forte e querida por quase todos, falecida aos 94 anos. Dias depois, começam os sinais de que a tranquilidade de Bacurau estará sob ameaça. No entanto, ninguém contava com um detalhe: que no passado desse lugar extraordinário estava adormecido um talento especial para a aventura.

O longa já foi convidado para mais de 100 festivais e mostras ao redor do mundo. Além do prêmio do júri no Festival de Cannes, ainda foi premiado como melhor filme na principal mostra do Festival de Cinema de Munique.  "Bacurau" também já foi exibido em outros festivais internacionais: na competição do Neuchâtel International Fantastic Film Festival, na Suíça, no Festival de Cinema de Sidney, Austrália, no SoFilm Summercamp, em Nantes, e La Rochelle, ambos na França (onde o filme estreia em setembro).

Kleber Mendonça divide a direção com Juliano Dornelles, que foi seu diretor de arte em "Aquarius" (2016). Logo após a exibição de "Bacurau" nos Cinemas Teresina, eles conversam com o público sobre todo o processo de criação do longa.

KLEBER MENDONÇA FILHO

Nasceu no Recife, Brasil, em 1968. Formado em jornalismo, tem trabalho abrangente como crítico de cinema e programador. Há 11 anos dirige o festival Janela Internacional de Cinema do Recife. Os curtas metragens de Kleber Mendonça Filho: Enjaulado (1997), A Menina do Algodão (2003), Vinil Verde (2004), Eletrodoméstica (2005), Noite de Sexta Manhã de Sábado (2006) e Recife Frio (2009) ganharam mais de 100 prêmios nacionais e internacionais, com passagens por festivais como Brasília, Roterdã (Holanda), Clermont-Ferrand (França) e a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes. Sua primeira experiência no longa metragem é o documentário Crítico, realizado ao longo de nove anos e selecionado para festivais no Brasil e exterior.

O Som ao Redor é seu primeiro longa-metragem de ficção. Foi selecionado em mais de 100 festivais, ganhou 32 prêmios, e foi escolhido um dos 10 melhores filmes do ano pelo New York Times. O Som ao Redor foi a escolha brasileira para representar o País no Oscar de 2014. Aquarius, seu segundo longa de ficção, concorreu à Palma de Ouro no Festival de Cannes 2016 e figura nas listas de melhores filmes de 2016-2017 das publicações mais importantes do mundo. Teve distribuição em mais de 100 países.

JULIANO DORNELLES

É realizador, diretor de arte e roteirista. No início dos anos 2000 formou com outros realizadores o grupo criativo Símio Filmes, atuou como cineclubista, dirigiu ficções e videoclipes em formato digital Hi8. Desde 2004 atua como diretor de arte em projetos de realizadores como Kleber Mendonça Filho, Daniel Bandeira, Marcelo Pedroso e Leonardo Lacca.

Como diretor, em 2011 lançou o curta Mens Sana In Corpore Sano no 64º Festival de Cinema de Locarno onde ganhou prêmio especial do júri e vários outros prêmios em festivais no Brasil. Em janeiro de 2015 rodou seu primeiro longa, O Ateliê da Rua do Brum, que encontra-se em fase de montagem.

Fonte: Icone Comunicação/Ivana Machado

Próxima notícia

Dê sua opinião: