COVID-19

Conselho de Administração avalia os impactos do Coronavírus na economia do Piauí

Com a crise, muitas empresas não conseguem resistir aos efeitos provocados


economia

economia Foto: Arquivo

A crise ocasionada pela pandemia do novo Coronavírus (COVID-19) afetou diversos setores a nível global. Com a propagação da doença, várias empresas dos mais variados segmentos, estabelecimentos comerciais e espaços de lazer suspenderam seu funcionamento. No Piauí, o último decreto estabelecido pelo Governo prorroga até o dia 30 de abril, a suspensão de todas as atividades comerciais, educacionais e eventos.

O presidente do Conselho Regional de Administração do Piauí (CRA-PI), Roberthy Barbosa, faz uma análise dos impactos causados em toda a cadeia produtiva e movimentação da economia no Estado. "O impacto é gigantesco e quanto mais se prolonga, o período de distanciamento social sem o funcionando das empresas, mais se agrava, porque elas não vão ter receitas. Cerca de 80% dos empreendimentos, principalmente os piauienses, trabalham com fluxo de caixa e não com reservas financeiras, porque não possuem condições. Boa parte são situadas no centro comercial de Teresina. Devido a isso, muitas empresas não conseguem resistir com as atividades paralisadas por um período de 15 dias", explica.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que a taxa de desemprego no Brasil subiu para 11,6% no trimestre encerrado em fevereiro, atingindo 12,3 milhões de pessoas. Especialistas estimam que em razão dos efeitos da pandemia na economia, a taxa de desemprego poderá eventualmente chegar a 14% ao final de 2020. Roberthy Barbosa recomenda que micro e grandes empresários se atentem às orientações do Governo Federal.

"O que nós orientamos, principalmente, é analisar as medidas apontadas pela presidência da república em socorro às empresas e empregos de funcionários. Para se ter uma ideia, este cenário está impactando não somente ao microempreendedor, mas também empresas de grande porte, seja ela indústria, comércio ou serviços. O impacto, inclusive, está vindo para o governo, pois o mesmo não terá arrecadação de ICMS, por exemplo", finaliza o presidente do CRA-PI.

Fonte: Icone Comunicação

Próxima notícia

Dê sua opinião: