MERCADO

Cooperativas de agricultura familiar vão fornecer merenda escolar

Duas cooperativas registradas no Sistema OCB SESCOOP/PI, a COOPERAGRO e a FRUTO DAQUI, garantiram a vaga na chamada pública


Merenda escolar

Merenda escolar Foto: Ascom

Os alunos da rede municipal de Teresina vão ter um cardápio mais saudável nas suas refeições. Cooperativas que trabalham com agricultura familiar foram selecionadas para fornecer os gêneros alimentícios durante o ano letivo de 2020. Duas cooperativas registradas no Sistema OCB SESCOOP/PI, a COOPERAGRO e a FRUTO DAQUI, garantiram a vaga na chamada pública da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) e vão oferecer produtos regionais e ricos em nutrientes.

A lei determina que 30% da alimentação escolar sejam provenientes deste tipo de cultivo, mas em Teresina, 49,65% dos alimentos que compõem o cardápio dos alunos vêm da agricultura familiar. O cardápio inclui batata doce, macaxeira, abóbora, feijão verde, alface, couve, quiabo, coentro, tomate, cebola verde, entre outros.

A presidente da Cooperativa dos Produtos Agropecuários do Portal do Parnaíba e Comunidades Vizinhas (COOPERAGRO), Vera Lúcia Silva, disse que a entrega vai ser semanal. "Somos do Povoado Boa Hora, na zona Rural de Teresina e nossos produto são saudáveis. O SESCOOP/PI foi primordial na assessoria para a elaboração do projeto. Sem ele não teríamos conseguido. Tivemos assistência do início até agora com agrônomo e ainda a consultoria".   

O superintendente do Sistema OCB SESCOOP/PI, José de Arimatéa Costa, disse que a principal meta do sistema para 2020 é capacitar as cooperativas para o mercado formal. "Queremos proporcionar ferramentas para que as cooperativas alcancem o mercado. Isso demanda forte investimento na profissionalização da gestão do negócio nas cooperativas, por ramos".

Além de garantir uma alimentação mais saudável para os estudantes, a chamada pública incentiva à geração de renda entre fornecedores individuais, grupos formais ou informais de agricultores familiares e do empreendedor familiar rural.

O processo é conduzido pelo Conselho de Alimentação Escolar (CAE) em parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Rural (SDR), Emater/PI e técnicos da Divisão de Nutrição da SEMEC.

Os fornecedores selecionados passam por fiscalização do Conselho de Alimentação Escolar de Teresina. O grupo confere desde a documentação à entrega dos alimentos nas escolas, garantindo a qualidade de cada produto que compõe o cardápio. Os agricultores devem fornecer alimentos sempre frescos e bem acondicionados, cumprindo todas as regras exigidas no edital.

Fonte: Cíntia Lucas

Próxima notícia

Dê sua opinião: