LANÇAMENTO

Governador divulga licitação da PPP das Miniusinas nesta quarta-feira (15)

A expectativa é que a PPP das Miniusinas resulte em uma economia de R$ 7 milhões, por ano, nos gastos do Estado com energia elétrica, que, atualmente, custa cerca de R$ 44 milhões.


Usinas solares

Usinas solares Foto: Economia Estadão

A Superintendência Estadual de Parcerias e Concessões (Suparc) publicou o edital de licitação  da Parceria Público-Privada (PPP) que prevê a construção e gestão de oito miniusinas de energia solar fotovoltaica. O projeto tem modelagem pioneira no Brasil e a divulgação oficial do edital acontece nesta quarta-feira (15), às 11h, no Palácio de Karnak, com a presença do governador Wellington Dias.

A licitação vai acontecer no dia 9 de março, às 9h, no auditório da SeadPrev. Serão quatro lotes e as cidades piauienses que vão receber as miniusinas vão ser definidas após a contratação das concessionárias. Os principais objetivos são gerar economia, a partir da autossuficiência de toda a demanda energética dos prédios da administração pública estadual, e incentivar o uso dessa nova matriz energética. A expectativa é que a PPP das Miniusinas resulte em uma economia de R$ 7 milhões por ano nos gastos do Estado com energia elétrica, que, atualmente, custa cerca de R$ 44 milhões.

Após a licitação, a previsão é que a contratação das empresas vencedoras aconteça ainda neste primeiro semestre e já comece a funcionar no inicio de 2021. Segundo o projeto, as oito miniusinas  terão capacidade de produção de 5Mw cada. Essa geração será injetada na rede da concessionária de energia elétrica, que é a Equatorial Piauí, de modo que será implantado um sistema para gerenciar e compensar a energia produzida e a consumida pela administração estadual. A previsão total de investimentos da iniciativa privada é de cerca de R$ 175 milhões.

“A redução dos gastos da receita estadual com energia elétrica vai viabilizar o uso desses recursos em investimento em setores essenciais. Além disso, as cidades contempladas receberão um incremento na receita com o aumento da arrecadação de impostos e a geração de emprego, que deve chegar a 640 vagas diretas e indiretas”, explica a superintendente da Suparc, Viviane Moura. Ela destaca que, além do aspecto econômico-social, há ainda o ganho ambiental, com o investimento em energia limpa e sustentável.

Apesar de ainda nem estar em operação, o projeto da Miniusinas de Energia Solar já é destaque nacional pelo pioneirismo. “Ele une as premissas da PPP, que são a eficiência e economia, ao fator ambiental, a partir da utilização de formas sustentáveis de geração de energia”, afirma Viviane Moura. O resultado disso é que o projeto foi escolhido, durante o PPP Awards & Conference Brazil, como a segunda melhor modelagem de PPP do país em 2019. A premiação aconteceu no último mês de dezembro, em São Paulo (SP), e trata-se do principal evento do setor no país.

Fonte: CCOM

Próxima notícia

Dê sua opinião: