COMPLICAÇÕES

Acusado da morte do cabo Claudemir morre sem ser julgado

Somente no ano passado, o julgamento de Igor Gordão foi adiado quatro vezes em decorrência de seu quadro de saúde


Igor Gordão

Igor Gordão Foto: Divulgação/Polícia Civil

Um dos envolvidos no assassinato do cabo da Polícia Militar do Piauí Claudemir de Paula, o Igor Andrade de Sousa, mais conhecido como Igor Gordão, de 23 anos, morreu na noite dessa quinta-feira (06).  De acordo com a defesa, Igor faleceu em decorrência de um ferimento provocado por bala durante uma tentativa de homicídio em agosto de 2019 em um bar na zona Sul de Teresina.

Igor teve o julgamento adiado várias vezes e um novo julgamento estava marcado para março. Na época em que foi baleado, Igor passou por uma cirurgia no Hospital de Urgência de Teresina (HUT) e teve complicações. Os disparos atingiram um braço e as costas da vítima.

No ano passado, o julgamento de Igor foi adiado quatro vezes devido ao seu estado de saúde, que era delicado. Igor Gordão é acusado de homicídio qualificado, associação criminosa, roubo circunstanciado, porte ilegal de arma de fogo e adulteração de sinal de veículo automotor. 

Informações sobre o velório e sepultamento de Igor não foram divulgadas. Ao todo, oito pessoas foram acusadas pela morte do cabo Claudemir. 

Próxima notícia

Dê sua opinião: