SAÚDE

Mais de 300 casos de tentativa de suicídio foram notificados esse ano em Teresina

Veja os locais que oferecem ajuda gratuita na capital para pessoas com ideações suicidas


Campanha Setembro Amarelo

Campanha Setembro Amarelo Foto: Divulgação

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), revelam que somente no primeiro semestre desse ano, 327 casos de tentativa de suicídio foram notificados em Teresina.  Mesmo com o número elevado, o Sistema de Informação de Mortalidade (SIM) aponta que houve redução de 14% de casos de suicídios na capital nos primeiros seis meses desse ano, se comparado ao mesmo período do ano anterior.

O suicídio é um grave problema de saúde pública, que pode ocorrer por vários fatores. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 90% dos casos estão atrelados a transtornos mentais. “É preciso discutir, quebrar tabus, porque não falar sobre suicídio é tão nocivo quanto falar de maneira errada. A gente não pode divulgar casos isolados, mas pode falar sobre doenças mentais e onde buscar tratamento”, explica Luanna Bueno, gerente de saúde mental da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

O dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Em alusão à data, a FMS divulgou a lista de estabelecimentos de saúde que contribuem com a prevenção do problema de saúde pública, para que pessoas com ideações suicidas e familiares saibam onde buscar tratamento gratuito em Teresina.

“Nesse momento, a FMS está fortalecendo a rede de saúde mental para aperfeiçoar o atendimento às pessoas que precisam desses serviços. Temos o PROVIDA, os ambulatórios e os CAPS. Mas sabemos que, com conhecimento e uma atitude acolhedora, todos podem contribuir com a prevenção do suicídio”, afirma o presidente da FMS, Charles Silveira.

Segundo o psiquiatra do CAPS e do CMAM da FMS, Francisco de Brito, a notificação dos casos de suicídio pelos serviços de saúde e escolas é fundamental. “A notificação também contribui para garantia da assistência adequada, instiga a rede de saúde a organizar mecanismos de prevenção e une vários órgãos, como saúde, educação, imprensa e política, para sensibilizar a população sobre o tema”.

“Para combater o suicídio, é preciso que a população comece a prestar atenção no próximo. Se a pessoa fala que quer morrer, que a vida não tem sentido ou começa a se isolar, pode ser sinal de que tem algo errado. Precisamos ajudá-la, estar disposto a ouvi-la sem julgamentos. É um trabalho em conjunto, que envolve todos, inclusive a família e a rede de assistência”, explica Naiana Martins, psicóloga do PROVIDA.

Conheça a rede de assistência à saúde mental da FMS, onde é oferecido ajuda gratuita em Teresina:

PROVIDA  – ambulatório especializado que atende especificamente pessoas que tentaram suicídio e que fica localizado dentro do Centro de Saúde Lineu Araújo. O local funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e atende por demanda espontânea. Recentemente, a FMS ampliou a quantidade de psicólogos e psiquiatras que atuam nesse ambulatório.

 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) – atendem pessoas com transtornos mentais severos e possuem equipe composta por psiquiatra, psicólogo, enfermeiro, terapeuta ocupacional, assistente social e equipe de apoio. Nestes locais, são realizadas atividades em grupo, atendimentos individuais, oficinas terapêuticas e atendimento à família.

Unidades Básicas de Saúde – podem atender casos de transtornos mentais leves e possuem médicos e enfermeiros capacitados para esse tipo de atendimento. Se houver necessidade, na própria Unidade, a pessoa faz a marcação para se consultar com psicólogos e psiquiatras nos ambulatórios espalhados em Teresina.

SAMU 192 – Em caso de urgência psiquiátrica, como surto psicótico ou tentativa de suicídio, a população pode acionar o SAMU, por meio do número gratuito 192 ou ir por meios próprios para o Hospital Areolino de Abreu, que possui psiquiatras 24 horas e é o hospital referência em atendimento de urgência psiquiátrica. Outra opção é se dirigir aos CAPS.

Centro de Valorização da Vida (CVV) – telefone 188; Centro Débora Mesquita (CDM) – telefone: (86)99827-3343/ 98894-5742;  e Grupo Apoio Contato e Esperança (GRACE) – telefone: (86)3237-0077/3237-0202 são organizações filantrópicas que contribuem com a prevenção e posvenção do suicídio em Teresina.

Fonte: FMS

Próxima notícia

Dê sua opinião: