SAÚDE

Número de casos de Aids aumentam no Piauí

Os casos de HIV/Aids registrados no estado aumentaram 50% nos últimos 10 anos. Em 2019, foram registrados mais de 700 casos da doença, no Piauí


AIDS

AIDS Foto: Divulgação

De acordo com a Secretaria de Saúde do Piauí, o número de casos de Aids no Estado aumentou 50% em dez anos. Somente em 2019, foram registrados 752 novos casos da doença. A transmissão pode ocorrer por conta do sexo sem proteção; pelo uso de seringa contaminada por mais de uma pessoa; pela transfusão de sangue contaminado; da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação; e instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Apesar de ainda não ter cura, o HIV tem tratamento que pode prolongar a expectativa de vida do paciente infectado. De acordo com a coordenadora de Doenças Transmissíveis da Secretaria de Saúde do Piauí, Karina Amorim, se você passou por uma situação de risco, como ter feito sexo desprotegido ou compartilhado seringas, faça o teste anti-HIV. Os testes são feitos gratuitamente pelo SUS.

“Qualquer pessoa que tenha uma vida sexualmente ativa, deve fazer o exame de sífilis, HIV, de Hepatite B e C, pelo menos uma vez ao ano. Não necessariamente esperar sentir algo, ter algum sintoma. Então, é necessário ter esta corresponsabilização pela saúde, buscar fazer a sua rotina de prevenção e de testagem. O preservativo é o carro chefe e ainda é o dispositivo 100% seguro de prevenção de todas as IST. É um chamamento que a gente faz para esta questão do autocuidado.”
 
 A coordenadora informa ainda que, caso você queira, os exames também podem ser feitos de forma anônima. No Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), além da coleta e da execução dos testes, há um processo de aconselhamento para facilitar a correta interpretação do resultado pelo usuário. Além disso, também é possível saber onde fazer o teste pelo Disque Saúde, que é o 136. O pensionista Raimundo Nonato Carvalho Poty, de 58 anos, morador de Teresina, é soropositivo há 26 anos e dá a dica do que fazer para evitar as infecções sexualmente transmissíveis

"O preservativo é o único meio de prevenir todas as doenças sexualmente transmissíveis, principalmente a sífilis, hepatites, HPV e também o HIV, né? São doenças muito complicadas. Vamos viver a vida, que a vida é muito bela para ser vivida.”
 
A retirada gratuita de camisinhas nas unidades de saúde é um direito seu. Por isso, não devem ser impostas quaisquer barreiras ou condições para que você os obtenha. Retire quantos preservativos masculinos ou femininos você julgar que necessite. Sem camisinha, você assume o risco. Use camisinha e se proteja dessas ISTs e de outras, como HIV e Hepatites. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/ist. 

Fonte: Agência Rádio Mais

Próxima notícia

Dê sua opinião: