SAÚDE

Piauí tem sete casos suspeitos de sarampo; um caso já foi confirmado

Quatro casos suspeitos são em Teresina; a única maneira de evitar a doença é a vacinação


Pessoa com sarampo

Pessoa com sarampo Foto: Imagem ilustrativa/Google - autoria desconhecida

Oito casos de sarampo foram notificados no Piauí, sendo que um foi confirmado e outros sete estão sendo investigados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi). Segundo a Sesapi, o caso confirmado foi em Campo Grande do Piauí, onde um bebê de 12 meses que nunca foi vacinado pegou a doença em São Paulo. 

Dos sete casos suspeitos, quatro são em Teresina. A diretora de vigilância em Saúde da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Amariles Borba, informou que não existe nenhum caso de sarampo confirmado em Teresina.

As pessoas com suspeita da doença, passaram por coleta de sangue e secreção e aguardam os resultados. O prazo mínimo é de 15 dias e enquanto o resultado não fica pronto, a orientação é que a pessoa fique recolhida em casa para não transmitir o vírus para demais pessoas. As pessoas que mantém contato direto com a pessoa suspeita de sarampo, que moram na mesma casa por exemplo, são vacinadas.

Para ficar imune da doença é necessário se vacinar. Para se vacinar, basta buscar uma sala de vacinação nas Unidades Básicas de Saúde, portando o cartão de vacinação.

A recomendação é que as crianças devem tomar a primeira dose da Vacina Tríplice Viral ( contra sarampo, caxumba e rubéola) aos 12 meses de idade e reforço aos 15 meses. A pessoa com idade entre 1 a 29 anos, se nunca tiver se vacinado, deve tomar duas doses; entre 30 e 49 anos, tomar uma dose e maior de 50 anos não deve tomar esta vacina. Os profissionais de saúde, independente da idade, administrar duas doses, conforme situação vacinal encontrada.

A doença - O sarampo é uma doença viral aguda, altamente contagiosa, que cursa com febre, tosse, coriza, conjuntivite e manchas cutâneas avermelhadas, podendo levar a complicações graves e óbito. A transmissão do vírus do sarampo é direta de pessoa a pessoa, por meio das secreções nasofaríngeas  e expelidas pelo doente.

O sarampo é endêmico em vários países da Europa, Ásia e África, existindo dessa forma o risco de importação para o Brasil. Desde  fevereiro de 2018, casos de sarampo foram confirmados em vários Estados brasileiros, como Roraima, Amazonas, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo.

Fonte: Sesapi/FMS

Próxima notícia

Dê sua opinião: