SAÚDE

Primeiro caso de Sarampo confirmado no Piauí veio de São Paulo

Informação foi repassada pelo Secretário estadual de Saúde, Florentino Neto


Criança com sarampo/Imagem ilustrativa

Criança com sarampo/Imagem ilustrativa Foto: Reprodução/This America Wife

O último boletim expedido pelo Ministério da Saúde confirmou casos de Sarampo em sete estados, dentre eles o Piauí, além do Distrito Federal. O secretário estadual de Saúde Florentino Neto contou que no Piauí há um caso confirmado até o momento e que este veio de fora.

“Esse não é do Piauí, é um caso importado, a pessoa contraiu sarampo em São Paulo e veio para cá, aqui nós constatamos e confirmamos. É bom que se diga também à população que temos outros sete casos suspeitos, estamos aguardando os exames para divulgarmos os resultados. A maioria desses casos também são importados”, revelou.

Neto informa que a Sesapi segue uma recomendação do Ministério da Saúde e do Programa Nacional de Imunização (PNI) no tocante à vacinação. “Estamos vacinando as crianças de 1 a 11 meses e 29 dias, nossos municípios já estão orientados e nós temos vacina suficiente”, afirmou. Em caso de necessidade, o secretário informou que o MS será comunicado oficialmente. “A população de 1 até 49 anos de idade que procurar os hospitais e postos também serão devidamente atendidos, nós temos hoje tranquilidade quanto ao estoque de vacinas”, reiterou.

A respeito de pessoas que propagam certa resistência para com a imunização, Florentino Neto foi enfático e falou de como a sociedade deve considerar importante a vacinação. “Muitas vezes nas redes sociais há um procedimento de desestímulo à vacinação. A vacina é um produto que respeita todas as normas cientificas de elaboração, as normas sanitárias de produção, foi por meio das vacinas que a humanidade conseguiu superar as epidemias e ter uma população hoje livre de muitas doenças. Nós não podemos relativizar a importância da vacinação e o Brasil tem um dos melhores planos de imunização do mundo”, ponderou.

Críticas à Gestão
Esta semana, parlamentares da base aliada e de oposição ao Governo do Estado teceram críticas severas à condução da Saúde Pública estadual. O secretário traz explicações sobre o episódio. “Na verdade, a crítica se deve ao atraso no pagamento do Cofinanciamento da Saúde (repasse a hospitais em todo o Estado), isso não é uma posição administrativa nossa, é fruto de dificuldades momentâneas do ponto de vista financeiro. Nós temos estados brasileiros que vivem dificuldades muito maiores que o Piauí, que está em pé fazendo investimentos, inclusive renovando o Parque Tecnológico dos hospitais, construindo novos como a nova Maternidade, que já está na sua segunda lage e terá oito andares, um investimento considerável”, pontuou.

Próxima notícia

Dê sua opinião: