GREVE

Professores da rede estadual iniciam greve em todo Piauí

A categoria quer o reajuste salarial de 4,17% para o ano de 2019 e de 12,84%, para este ano


Greve dos trabalhadores em Educação

Greve dos trabalhadores em Educação Foto: Print do vídeo

Professores da rede estadual realizaram protesto e deflagraram greve na manhã desta segunda-feira (10) no Centro de Teresina.  A categoria reivindica o reajuste salarial de  4,17% para o ano de 2019 e de 12,84%, para este ano. Ainda na manhã de hoje, o Governo divulgou que vai encaminhar à Assembleia Legislativa nesta semana um projeto de lei estabelecendo que o menor valor pago para os professores 40 horas da rede estadual de ensino seja no valor de R$ 3.167,17, acima do valor nacional.

A categoria também quer que os aposentados sejam inclusos no reajuste. A categoria entrou de greve hoje em todo o estado e nos núcleos regionais. A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Piauí (Sinte), Paulina Almeida, diz que o governo do estado e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) noticiaram que os professores receberão piso salarial acima do estabelecido pelo governo federal como uma forma de colocar a opinião pública contra os professores. "Queremos o reajuste salarial de 4,17% para 2019 e o governo colocou apenas para os ativos. Queremos o reajuste deste ano que é 12,84%, também para ativos e aposentados”, declarou.

Por volta das 9h de hoje, a categoria se reuniu no Centro de Teresina e seguiu com uma caminhada pela Avenida Frei Serafim, saindo da lateral da Igreja São Benedito até o cruzamento com a Rua Coelho Rodrigues. Em seguida, os manifestantes voltaram pela Avenida no sentido Leste-Centro em direção ao Palácio de Karnak, onde inciaram um protesto. As vias ficaram parcialmente interditadas durante a manifestação. O protesto encerrou por volta das 11h e não houve negociação entre o governo e a categoria.

De acordo com a Seduc, o piso estadual da categoria se manterá acima de R$ 2.886,24, que é o valor definido nacionalmente pelo Governo Federal. O projeto de lei que será encaminhado para a Assembleia Legislativa permitirá incorporar ao salário o percentual de 4,17%, concedido ano passado, com auxílio, em acordo com a categoria. Além do piso acima do valor nacional, o Governo do Estado disse que irá manter o auxílio alimentação pago aos professores ativos, já no contracheque de fevereiro. O valor aplicado será de 4,31%, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).


Próxima notícia

Dê sua opinião: