SERVIÇO

Agespisa mobiliza equipe para corrigir vazamento no Garrincho

A Adutora do Garrincho tem uma extensão de 39 quilômetros.


Agespisa

Agespisa Foto: Divulgação

A Agespisa mobilizou técnicos e equipamentos dos setores de obras e operação para atuar em caráter emergencial na correção de um grande vazamento que deixou sem água a cidade de São Raimundo Nonato e mais seis cidades na região. Por conta da complexidade do serviço, ainda não há previsão para retomada do abastecimento.

Além de São Raimundo Nonato, o problema atinge os moradores dos municípios de Dirceu Arcoverde, São Lourenço, Bonfim do Piauí, Várzea Branca, São Brás do Piauí e do povoado Minador, em Anísio de Abreu.

O trecho onde houve o rompimento vem apresentando vazamentos constantemente e fica entre a Estação de Tratamento de Água e a zona urbana de São Raimundo Nonato. Trata-se de uma obra construída por outro ente público e repassada para a Agespisa. O material utilizado é de qualidade inconsistente e vive apresentando defeitos.

Em agosto do ano passado, a Agespisa realizou uma força-tarefa e substituiu 300 metros de tubos da Adutora do Garrincho com o objetivo de sanar parte dos constantes problemas. Há cerca de seis anos, outro importante trecho foi todo refeito pela Agespisa, a um custo aproximado de R$ 11 milhões.

A Adutora do Garrincho tem uma extensão de 39 quilômetros. O bombeamento é feito do Açude Petrônio Portella, onde a água é captada, até à Estação de Tratamento de Água, num percurso de 22 quilômetros. Daí para São Raimundo Nonato são mais 17 quilômetros.

Fonte: ascom Agespisa

Próxima notícia

Dê sua opinião: