CURIMATÁ

Égua apreendida em curral de prefeitura morre de sede e fome no Piauí

O caso gerou revolta e a Prefeitura de Curimatá se posicionou, dizendo que está analisando o caso para tomar as devidas providências


Égua apreendida morre de fome e sede em curral de prefeitura

Égua apreendida morre de fome e sede em curral de prefeitura Foto: José Gabriel

Uma égua que foi apreendida pela Prefeitura de Curimatá, no Sul do Piauí, morreu após ficar sem água e sem comida no curral da prefeitura. Um morador identificado como José Gabriel foi até o local e tentou salvar o animal, mas não conseguiu. 

José Gabriel registrou imagens e disse que a égua sequer conseguia levantar de tão debilitada, O registro foi feito no sábado (1º) e no dia seguinte o animal morreu. A égua foi apreendida no dia 30 de janeiro de 2020 com base na lei municipal criada em decorrência do número de acidentes causados pelos animais na pista na zona urbana.

O prefeito de Curimatá, Valdeci Júnior, se posicionou e disse que o animal foi alimento na quinta e sexta-feira. No sábado, o funcionário do currral teria ido ao interior e o animal ficou sem se alimentar e com sede. A Prefeitura disse ainda que levou um veterinário no domingo para analisar o animal, que foi medicado, mas não resistiu.

O funcionário foi afastado das funções e a Prefeitura formou uma comissão para avaliar o caso a fim de tomar as devidas providências. O caso repercutiu no Piauí e deixou as pessoas revoltadas com a situação.

Próxima notícia

Dê sua opinião: