CASO STYLLOS

Oito anos após calote, casal é condenado a 12 anos de prisão pelo TJ-PI

Casal oferecia serviços de festas de formatura, mas tentou fugir do estado com o dinheiro recebido dos formandos em 2011


Investigação ficou conhecida como Caso Styllos, nome da empresa administrada pelo casal preso em 2011

Investigação ficou conhecida como Caso Styllos, nome da empresa administrada pelo casal preso em 2011 Foto: Reprodução

Keila Regina Moreno de Sousa e Fabiano Silva Neves foram condenados pelo juiz Fabrício Paulo Cysne de Novaes, da 4º Vara de Picos, a 12 anos e 8 meses de prisão. A sentença foi proferida na última terça-feira (10). O casal era acusado de oferecer serviços de realizações de festas de formatura e ter tentado fugir do Piauí em 2011, quando o fato ficou conhecido como ‘Caso Styllos’.

Keila e Fabiano eram diretores administrativos da empresa Styllos Empreendimentos Ltda ME. Segundo a acusação, os dois “recebiam valores mensais dos contratantes e, no dia 17 de setembro de 2011, os acusados, repentinamente, subtraíram todos os objetos da empresa, sediada em Teresina (PI), indo embora sem prestar os serviços acordados, ou prestar qualquer satisfação aos contratantes”.

Diversos boletins de ocorrência foram registrados pelas vítimas, comprovando a materialidade dos crimes, somados a declarações dadas a autoridades policiais e provas documentais como os contratos de prestação de serviços e comprovantes de pagamentos relativos às diversas turmas de alunos contratantes. Alunos de pelo menos nove turmas foram lesados pelos proprietários da empresa Styllos.

Fonte: Com informações do TJ-PI

Próxima notícia

Dê sua opinião: