TRÁFICO INTERNACIONAL

Cocaína avaliada em R$ 25 milhões é incinerada em cerâmica na zona Sul

Polícia Civil continuará investigando rota do tráfico internacional com passagem pelo Piauí; Presos na operação podem fazer delação premiada


Droga foi queimada em fornos de cerâmica da região Sul de Teresina

Droga foi queimada em fornos de cerâmica da região Sul de Teresina Foto: Divulgação/SSP-PI

A tonelada de cocaína apreendida na última terça-feira (11) em Teresina foi incinerada na manhã desta sexta-feira (13). A droga estava avaliada em R$ 25 milhões e tinha como destino a Europa, seguindo rota do tráfico internacional, conforme informações da operação policial que resultou na prisão de sete pessoas, incluindo três pilotos, e apreensão de duas aeronaves, sendo um helicóptero e um avião bimotor. A droga foi incinerada no pólo cerâmico da zona Sul da capital.

De acordo com o delegado Tales, a queima da droga é uma determinação da lei de combate ao tráfico que exige no ato da queima a presença de autoridades do sistema de justiça criminal e vigilância sanitária. "A incineração foi acompanhada pessoalmente pelo secretário de segurança Fábio Abreu e pela promotora de justiça Ana Cecília que finalizou o ato", informou.

“Tivemos a preocupação de solicitar esse procedimento o mais rápido possível para que a droga não ficasse nas dependências das unidades policiais”, disse o secretário de Segurança Pública do Estado, Fábio Abreu.


A operação contou com esforço integrado entre as equipes do Grupo de Repreensão ao Crime Organizado (GRECO), Batalhão de Operações da PM-PI, Divisão de Operações Especiais (DOE) e a Delegacia de Entorpecentes (DEPRE), que classificaram como “a maior apreensão de cocaína do estado do Piauí”.

Sete pessoas foram presas:

André Luís de Oliveira Cajé Ferreira - piloto de avião
Alexandre Vagner Ferraz - piloto de avião
Alexandro Vilela de Oliveira
Vagner Farabote Leite - piloto de helicóptero
Renato Solon Gondim Magalhães- piloto de avião
João da Cruz Marques
Alexandre Barros Pereira de Meneses.

Segundo o delegado Tales Gomes, “o grupo de pessoas estava atuando no tráfico internacional de drogas e tinha Teresina como ponto de apoio em que faziam uso de sítios na nossa zona rural afim da droga ser remetida para Fortaleza e de lá para o exterior”.

Próxima notícia

Dê sua opinião: