ESTADO GRAVE

Homem baleado por PM durante discussão em bar está sem movimento das pernas

Rudson está internado na UTI do Hospital São Marcos e com a bala alojada no corpo. Segundo a família, dentro de quatro dias os médicos irão dizer o diagnóstico da vítima


Rudson (vitima) e Max (policial)

Rudson (vitima) e Max (policial) Foto: Divulgação

A família de Rudson Vieira Batista da Silva, de 32 anos, que foi baleado por um policial militar dentro de um bar na zona Norte de Teresina na noite de domingo (01), informou que ele não consegue movimentar as pernas. Rudson está com um projetil alojado nas costas e internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Marcos. Ainda segundo a família, a equipe médica está avaliando se a vítima vai ficar paraplégica e o resultado deve sair em até quatro dias.

 João Batista, irmão de Rudson, disse que a família está aguardando o diagnóstico a partir de uma avaliação que está sendo feita na medula óssea da vítima. No momento, Rudson está sem os movimentos das pernas, mas ainda é cedo para saber se isso é permanente e dentro de quatro dias os médicos já terão uma resposta.  A vítima foi baleada no pescoço e a bala passou pelo pulmão, se alojando na clavícula.

Rudson passou por um procedimento de drenagem para retirar o acúmulo de sangue que se formou nos pulmões e a bala não será retirada. O policial militar Max Kellysson Marques Marreiros foi  preso em flagrante e liberado durante audiência de custódia no dia seguinte.

Entenda mais sobre o caso: Radiologista baleado por policial militar em bar segue em estado grave na UTI

Próxima notícia

Dê sua opinião: