OPERAÇÃO CODINOMES

“Tem que matar dois por semana”, diz integrante de facção criminosa preso no Piauí

Instrução foi dada em conversa entre suspeito de integrar facção criminosa e um futuro membro da organização em Teresina; O áudio foi divulgado pela Secretaria de Segurança


Mais de 20 suspeitos de integrar facções criminosas foram presos nesta terça-feira (14) em Teresina

Mais de 20 suspeitos de integrar facções criminosas foram presos nesta terça-feira (14) em Teresina Foto: Divulgação/SSP-PI

A Secretaria de Segurança Pública do Piauí (SSP-PI) divulgou áudios dos presos na Operação Codinomes, realizada nesta terça-feira (14) para enfraquecer a atuação das facções Primeiro Comando da Capital (PCC) e Bonde dos 40 (B-40) em Teresina.

Em um dos áudios é possível ouvir um preso não identificado conversando com um rapaz interessado em entrar para a facção. O faccionado pergunta se o jovem mata bem e diz que ele vai precisar matar pelo menos duas pessoas por semana, caso queira ser respeitado pela organização criminosa. Como resposta, o rapaz, também não identificado, afirma já ter ‘derrubado’ dois. A expressão ‘derrubar’ pode ser traduzida como 'matar' na linguagem dos criminosos.

A seguir uma reprodução do diálogo entre os suspeitos.

-Mas tu mata bem, irmão?

-Rapaz, irmão, tá ligado, né?

-Hum?

-‘Nós’ desenrola, ‘nós’ desenrola. Eu já derrubei uns dois já.

-É, pra entrar no ‘quadro da restrita’ tem que pelo menos matar uns dois por semana, irmão.


OPERAÇÃO CODINOMES


Pela primeira vez o Governo do Piauí, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública, reconheceu a atuação de facções criminosas conhecidas nacionalmente se ramificando no estado. Após quatro meses de investigação foram realizadas 21 prisões de pessoas envolvidas com tráfico de drogas, homicídios e ligadas ou ao Bonde dos 40 (B-40), organização que se originou em São Luís, no Maranhão, ou ao Primeiro Comando da Capital (PCC), facção com origem em São Paulo, mas que atualmente possui ramificações em vários estados do Brasil.

As prisões foram coordenadas pela Delegacia Especializada de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre), que deflagrou a Operação Codinomes visando cumprir 26 mandados de prisão e 28 de busca e apreensão. A ação policial aconteceu nos estados do Piauí, Maranhão e São Paulo, concomitantemente. 

Após o início das investigações, ainda em 2019, foram verificadas conexões entre investigados por tráfico de drogas nos três estados citados, sendo que suas relações convergiram para facções criminosas. Os alvos eram envolvidos direta ou indiretamente com o tráfico de drogas e se utilizavam da facção criminosa para ter apoio, muitas vezes operacional, não só no cometimento deste crime, mas também de vários outros, como homicídio e roubos.

A operação tem esse nome porque os alvos utilizam-se de outros nomes para esconder sua verdadeira identidade. A operação teve o apoio do  GAECO (MP-PI), do operacional da SSP-PI, Delegacia Geral de Polícia Civil, POLINTER, DHPP, D.O.E/GRECO, DICAP, GPE, Delegacias de Polícia Civil da capital e região Metropolitana, BOPE-PMPI, RONE/ PMPI e DENARC/MA.

Próxima notícia

Dê sua opinião: