FORAGIDO

Vídeo flagra prisão de marido acusado de torturar e amarrar mulher nua em árvore

Homem foi preso na localidade, Surubim, zona rural de Altos, região Norte do Estado


Marco Emílio Alcides de Araújo estava foragido

Marco Emílio Alcides de Araújo estava foragido Foto: Reprodução

Policiais da Delegacia de Altos prenderam na tarde desta quarta-feira (08), o contador Marcos Emílio Alcides de Araújo, após ter sido indiciado pela Polícia Civil por torturar durante oito dias e amarrar nua em uma árvore a ex-esposa, a professora E.S.M.A, com quem era casado há 20 anos. 

O casal teve um filho, que também era vítima das agressões do pai. Segundo os familiares, o jovem era agredido e ameaçado para não contar à família os maus tratos praticados contra sua mãe.


De acordo com Eliane, a irmã da vítima, os policiais contaram com ajuda do pai da professora para que ele indicasse a casa onde o acusado mora no município de Altos, porém Marcos Emílio estava foragido desde a manhã desta quarta-feira após a Vara Única de Altos expedir mandado de prisão contra o contador.

O homem foi encontrado e preso na localidade Surubim, zona rural do município.

A família da vítima fará uma manifestação contra o Feminicídio nesta sexta-feira (08), a partir das 9h em frente ao Fórum de Altos, e emitiu um comunicado.

Quero comunicar a todos que foi realizada neste exato momento a prisão do covarde que torturou minha irmã. Quero agradecer a todos pelo apoio , agradeço  todas as pessoas que se manifestaram por justiça e aos meios de comunicação. Mais continuo convidando para que nós população Altoense , mulheres, homens que tem filhas, esposas e que são contra esse tipo de covardia , nos reúna na sexta-feira para que possamos fazer uma manifestação pacífica a favor de justiça para outras mulheres que passaram ou que vivem sofrendo caladas sem um apoio.

Matéria relacionada

Família pede prisão de homem que filmou esposa nua amarrada em matagal no Piauí

Boletim de Ocorrência registrado contra Marcos Emílio

Boletim foi lavrado dia 15 de dezembro de 2019

Próxima notícia

Dê sua opinião: