VAZA CIRO

VAZA CIRO: Policial vira conselheiro do senador e sugere esquema para eleições

O senador Ciro Nogueira negou à imprensa local ser sua a voz ouvida nos áudios e que não discute 2022 este ano


Ronaldo virou uma espécie de conselheiro de Ciro

Ronaldo virou uma espécie de conselheiro de Ciro Foto: Montagem do Piauí Hoje

A íntegra da conversa entre o senador Ciro Nogueira e o policial civil e ex-prefeito de Nossa Senhora dos Remédios, Ronaldo Lages Castelo Branco, vazou nesta sexta-feira (29). No áudio de mais de cinco minutos, o senador admite que não tem popularidade, mas que confia na ‘estrutura’ que possui, o que na política significa ‘dinheiro’ para a campanha. Ciro afirma ainda ter encomendado pesquisa e aponta que o prefeito de Teresina, Firmino Filho, dispara com 15 pontos na frente de Wellington Dias na disputa pelo senado em 2022.

Ciro Nogueira, além de senador é presidente nacional do Progressistas e teve o nome citado diversas vezes na investigação da operação Lava Jato. Já Ronaldo foi condenado pela morte da biomédica Joysa Barros em 2013, condenado por porte ilegal de armas, lesão corporal grave e já respondeu na Justiça por crime eleitoral, chegou ainda a ser considerado foragido da Justiça do Piauí.

Uma parte do áudio viralizou nas redes sociais ontem (29), ganhou repercussão nacional em sites como Revista Fórum e o áudio completo divulgado nesta sexta mostra Ronaldo dando dicas de como o senador Ciro Nogueira pode conseguir apoio para seus projetos políticos de 2022 nos municípios de Luzilândia e Esperantina. Ciro já afirmou diversas que o PP terá candidato ao Governo no próximo pleito estadual e que ele ou o prefeito Firmino Filho, mesmo ainda no PSDB, podem ser o candidato do partido.

Ronaldo Lages explica a Ciro que conseguir apoio em Luzilândia é difícil e que em Esperantina a saída é juntar as oposições contra o grupo da prefeita petista Vilma Amorim.

“Luzilândia, o prefeito lá é difícil, lá o [prefeito] Ronaldo [Gomes] pra ganhar eleição é queimado demais e Esperantina é juntar todo mundo contra a Vilma, não tem jeito, porque polariza. Tu sabe que o [deputado estadual] Themístocles não se junta com Vilma, é a eleição mais complicada do Piauí”, avisa.

 Mesmo dizendo que o atual prefeito de Luzilândia é ‘queimado’, o policial apresenta uma carta na manga.

“O presidente da Câmara de Luzilândia é meu amigo, o [vereador] Júnior, vai lá pra minha fazenda jogar baralho, sempre votou na [deputada estadual] Janaína, [ele é] louco pra ser prefeito, lá nós podemos fazer uma briga do tamanho que você quiser. Ele joga baralho lá em casa, vai lá morto de liso, é político profissional, agora mesmo ele foi lá em casa e eu fiz um sacrifício, arrumei dez mil contos pra ele, lá em Luzilândia a gente consegue fazer uma briga, eu sei o que cê tá querendo, você não é criança”, disse Ronaldo.

Os apoios nos municípios da região Norte seriam necessários para que Ciro tenha êxito em 2022, caso saia candidato a governador do Piauí e apresente na coligação do PP Firmino Filho como candidato a senador.

“Ande direto com o Firmino lançando ele como senador que quanto mais nós arrochar o Wellington mais o Wellington fica com medo e abre, a estratégia é o senador que faz ele abrir, ele não vai querer ficar sem mandato e do jeito que tá aí ele faz é perder a eleição pro Firmino, Firmino sai com a votação de Teresina aí estupenda”, comenta.

Na sequência do áudio, Ciro confessa que já se adiantou e encomendou pesquisas de intenção de voto para o senado e confessa sua impopularidade.

“Vou fazer, meu irmão, não sei fazer nada pela metade, fiz uma pesquisa agora, cê sabe que eu nunca fui popular demais, meu negócio mesmo é estrutura, eu estou disparado na frente aí, qualquer candidato do Wellington eu boto quatro por um e ainda tem mais uma agora que eu nunca imaginava isso, eu fiz uma pesquisa pra senador, botei três candidatos: [as deputadas federais] Margarete [Coelho], Iracema [Portela] e o Firmino. Botei Iracema porque se eu não fosse candidato a governador botava o Firmino pro Governo. A Iracema e a Margarete ganham do Wellington por um ponto e o Firmino com meu apoio pro Senado já tá quinze pontos na frente do Wellington, se o Wellington quiser brigar ele vai perder o senado, isso eu te garanto também que um senador eu elejo”, confessou.

Ronaldo demonstra segurança quanto a votação que Firmino Filho pode ter em Teresina, caso dispute o senado em 2022.

“O Firmino sai com 300 mil votos aqui de Teresina, quem diabo que tira essa diferença, Wellington não acompanha ele não, a chance é agora de tirar esse povo aí, com esse desgaste que tá aí. É a chance de tirar o mandato de senador do Wellington, eu se fosse político no Piauí não queria acordo com Wellington Dias nesse momento não, eu ia ganhar era governo e senador junto, não queria nem saber”, contou.

Ciro responde lacônico. “É verdade, se o Firmino for comigo acho difícil ele perder pro Wellington”.

O policial civil condenado diz que não dá para comparar Ciro com o ex-senador e presidente estadual do PTB, João Vicente Claudino, alega que a campanha precisa iniciar mais cedo e diz que é difícil Ciro perder eleição circulando por todo o Piauí.

“Naquele tempo eu coordenei a campanha do João Vicente aqui no Norte, andei mais ele, mas João Vicente é João Vicente, Ciro é Ciro, não dá pra comparar, do jeito que você tá querendo aí eu lhe garanto que vamos conversar eu, você e o Dó [Bacelar], sentar e nós não perde é em lugar nenhum, ainda mais começando cedo assim, com a disposição que eu lhe vejo eu nunca vi você andar no Piauí desse jeito, você andando desse jeito nós não perde eleição”, assegurou.

Dó Bacelar é prefeito de Porto, também responde a processo na Justiça por transferência irregular de recursos do Fundeb.

Já quase no fim do áudio, Ronaldo pede apoio para que sua prima dispute a prefeitura de Barras, mas não cita o nome da mulher, apenas pede um acordo com o ex-prefeito Manin Rêgo.

“Bora se decidir pela minha prima aqui que é do seu partido, chame o Manin pro partido e a gente faz um acordo, se o Manin não for candidato, ela seria candidata e ela ainda tem uma vantagem, é de confiança e ganha eleição e ela é do PP, vamos, você me disse que tinha interesse”, finaliza.

RESPOSTA

Com exceção do senador Ciro Nogueira, que negou ser sua a voz no áudio, nenhum dos políticos piauienses citados nos áudios se manifestou até agora sobre os fatos. O espaço encontra-se aberto para quaisquer esclarecimentos.


Próxima notícia

Dê sua opinião: