CONFISSÃO DE CULPA

Ausência de Dallagnol "é confissão dos malfeitos praticados", avalia deputado

Vice-líder do PCdoB na Câmara criticou fuga do debate de procurador da Lava Jato


Deltan Dallagnol

Deltan Dallagnol Foto: Arquivo

O vice-líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, o federal Márcio Jerry (MA), criticou a postura do procurador Deltan Dallagnol, que na tarde desta segunda-feira (8) enviou ofício à Comissão de Direitos Humanos (CDH) recusando convite para esclarecer o teor das conversas que manteve com então juiz Sérgio Moro e hoje estão no foco de vazamento do portal The Intercept Brasil, Folha de S. Paulo, da Revista Veja e outros veículos.

“Dallagnol sabe o que fez e por isso teme. De forma cínica ele diz que ‘acredita ser importante concentrar na esfera técnica minhas manifestações sobre mensagens de origem criminosa’. Logo ele, tão midiático em suas manifestações na Lava Jato.  A ausência é confissão dos malfeitos praticados”, afirmou o deputado do Maranhão.

Na carta encaminhada ao Congresso, Deltan alegou que deve, por função constitucional, “desempenhar trabalho de natureza técnica perante o Judiciário, outro poder, situação distinta daquela de agentes públicos vinculados ao Poder Executivo”.

O objetivo da reunião será debater as reportagens do The Intercept Brasil que noticiaram mensagens trocadas entre Deltan, o então juiz Sérgio Moro (atual ministro da Justiça e da Segurança Pública) e outros integrantes da Lava Jato. Os textos do site levantam suspeita de que Moro teria atuado com parcialidade em decisões relacionadas à operação.

Fonte: Revista Fórum

Próxima notícia

Dê sua opinião: