PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Deputada chama de 'retrocesso' proposta de Bolsonaro que atinge cotas

Proposta enviada à Câmara pelo presidente Bolsonaro visa substituir contratação de pessoas com deficiência por pagamento de salários enviados ao governo


Rejane Dias na Câmara Federal

Rejane Dias na Câmara Federal Foto: Ascom

Após articular a derrubada de veto presidencial e garantir aprovação de lei que assegura psicólogos e assistentes sociais em escolas, a deputada federal Rejane Dias (PT-PI) voltou a criticar propostas enviadas à Câmara pelo presidente Jair Bolsonaro.

Nesta terça-feira (03), Rejane Dias buscou neutralizar com sete emendas o pacote de medidas enviadas pelo Governo Federal propondo alterações na lei de cotas para pessoas com deficiência e no auxílio-inclusão.

De acordo com o PL 6.159/2019 do Governo Federal, as empresas vão poder substituir a contratação de PCD pelo pagamento de um valor equivalente a dois salários mínimos enviados ao governo. Segundo a parlamentar, a proposta representa um ataque aos direitos da pessoa com deficiência no Brasil e um futuro incerto a mais de 440 mil pessoas contratadas por meio da reserva de vagas hoje.

“Parece irônico o governo enviar uma proposta dessa e tentar acelerar a sua aprovação em pleno Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. Em vez de fortalecermos a Lei de Cotas, criando mecanismos para que ela se cumpra, estamos retrocedendo há décadas de conquistas históricas”, disse a parlamentar.

Fonte: Com informações da AsCom

Próxima notícia

Dê sua opinião: