TARIFA

Firmino reduziu a frota de ônibus e aumentou o valor da passagem, diz Fábio Novo

Pré-candidato a prefeito de Teresina, Fábio Novo, disse que encomendou pesquisas técnicas para apresentar nova proposta ao sistema de integração da capital


Deputado estadual Fábio Novo (PT)

Deputado estadual Fábio Novo (PT) Foto: Caio Bruno/Alepi

O Piauihoje.com tentou contato com os três pré-candidatos a prefeito de Teresina para saber quais seus respectivos posicionamentos sobre o reajuste da tarifa de ônibus da capital e implicações do aumento para a população teresinense. O reajuste foi decretado pelo Firmino Filho nesta sexta-feira (31). A passagem inteira passa a valer R$ 4 e a estudantil R$ 1, 35 a partir de segunda-feira (03).

O pré-candidato do PT, secretário Fábio Novo, resumiu o atual sistema de integração dos coletivos a três pontos: “reduziu-se a frota em 80 ônibus, aumentou-se a tarifa para R$ 4 e as pessoas estão demorando mais tempo para chegar no seu destino”, pontuou.

De acordo com Novo, o sistema de integração da capital precisa ser revisto com urgência, pois antes a população demorava em torno de 40 minutos para fazer um percurso e atualmente perdem duas horas dentro dos ônibus ou nos terminais de embarque e desembarque de passageiros.

“Em nossa pré-campanha vamos receber alguns técnicos para estudar e apresentar alguma proposta, pois da forma como está em todas as pesquisas de opinião que fazemos sobre a integração é perceptível um sentimento de insatisfação da população”, comentou.

Já o pré-candidato do MDB, Dr Pessoa, estava iniciando uma reunião em Recife, quando a reportagem entrou em contato, e disse que só poderia comentar o reajuste amanhã. “Estou entrando em uma reunião aqui em Recife para tratar de assunto relacionado à política deste ano em Teresina e da área da saúde”, explicou.

Fábio Abreu do PL cumpre agenda no interior do Piauí e não foi localizado até o momento. O espaço se encontra aberto a quaisquer considerações do secretário.

Na última quinta-feira (30), o Piauihoje.com ouviu vereadores da capital sobre o assunto.

Próxima notícia

Dê sua opinião: