INVESTIMENTOS

Governador cria Batalhão e anuncia concurso da Polícia Militar do Piauí

De acordo com Wellington Dias, o edital do concurso deve ser lançado até maio de 2020


Governador assina decreto que cria 21º Batalhão de Polícia no município de Altos

Governador assina decreto que cria 21º Batalhão de Polícia no município de Altos Foto: Ascom

O governador Wellington Dias assinou o decreto de criação do 21º Batalhão de Polícia no município de Altos nessa segunda-feira (21). Na ocasião, o governador anunciou que vai lançar o edital para concurso público da Polícia Militar do Piauí até maio deste ano. No novo Batalhão atuarão 24 policiais militares e o concurso que será anunciado prevê a inclusão dos efetivos para o 21º Batalhão e outros.

O novo Batalhão vai beneficiar  40 mil habitantes e várias cidades ao entorno também serão contempladas com a ação policial, como Pau D’Arco, Coivaras, Alto Longá, Beneditinos, Santo Antônio e São João da Serra.

“Estamos dando um passo importante, criamos um projeto de lei para que este batalhão seja permanente, ou seja, na minha gestão e em outras, Altos contará com essa estrutura. Inicialmente, vamos disponibilizar mais equipamentos e vamos fazer uma parceria com o município para a instalação de câmeras de monitoramento, além de uma parceria com a guarda municipal. A construção da sede levará mais tempo, mas não impede que já iniciemos os investimentos. Tenho certeza de que os resultados serão positivos, com a diminuição significativa da violência na região”, destacou o governador Wellington Dias.

O novo Batalhão deve começar a funcionar até o carnaval, segundo o comandante da PM, Lindomar Castilho. “O último batalhão criado foi em Paulistana e agora temos a missão de montar a equipe e estruturar esta unidade até o carnaval, que é uma época movimentada e necessita de uma boa segurança. O batalhão suporta até cem policiais, mas até lá vamos movimentar tropas de forma que possamos aumentar o contingente”, declarou.

Fonte: Com informações da CCOM

Próxima notícia

Dê sua opinião: