PARCERIA

Governador trata com a Air BP sobre projetos para produção de biodiesel no Piauí

Em São Paulo, governador discutiu ainda projetos de viabilidade para abastecimento do aeroporto de São Raimundo Nonato.


Audiência

Audiência Foto: Ascom

O governador Wellington Dias cumpriu agenda nesta quarta-feira (11), em São Paulo, onde participou de encontro com o presidente da Air British Petroleum América do Sul, Ricardo Paganini, e com o presidente Sindicato das Distribuidoras de Combustíveis da Bahia (Sindicom), Luiz Gonzaga.

Segundo Ricardo Paganini, presidente da Air BP, foi discutida a possibilidade de desenvolver projetos de aviação em alguns aeroportos do Piauí, principalmente o de São Raimundo Nonato. “Num primeiro ponto, ficou definido que faremos um estudo de viabilidade de abastecimento para aeroporto de São Raimundo Nonato, depois, iremos analisar a viabilidade técnica e financeira de produção de bioquerosene no estado”, explica o presidente.

O presidente do Sindicom, Luiz Gonzaga, definiu o encontro como excepcional. “Foi a junção do Governo do Piauí com uma das maiores empresas do mundo na área de abastecimento da aviação e que tem preocupação com o meio ambiente, a British Petroleum”, afirmou.

Segundo o governador Wellington Dias, a Air BP, empresa inglesa que atua na área de distribuição de querosene de aviação no Brasil para boa parte das companhias, manifestou interesse na agenda para obter informações sobre a necessidade do ponto de abastecimento permanente no aeroporto de São Raimundo Nonato.

No encontro, o governador também falou sobre o projeto de produção da planta cártamo, uma leguminosa semelhante com soja e que tem alta produtividade. Sendo viável a produção, o grão ao ser esmagado, parte será destinada à ração animal e outra parte para produção de biodiesel. Para isso, será aproveita a estrutura da Unibrás, em Floriano. “Acertamos aqui, hoje, que a empresa enviará uma equipe de reconhecimento para São Raimundo Nonato. Além disso, se o biodiesel oriundo do cártamo for recomendado e aprovado e não trouxer dano para aeronaves, há disposição para trabalhar nesse projeto de produção do cártamo”, disse o governador, esclarecendo também que será feito estudo de preços, que deve ser próximo ao valor pago pelo querosene de aviação.

Segundo o governador, ao ser analisado todos os estudos, a empresa tem disposição para ajudar na parceria dessa base experimental. “Isso vai permitir que o agricultor familiar possa cultivar a planta, que é semelhante ao feijão. Esse projeto já vem sendo testado no Rio Grande do Norte”, disse o governador, afirmando que a meta é trabalhar e fazer do Piauí, conhecido por ser o estado da energia limpa, ser também conhecido como estado do biodiesel.

“A estratégia é que em janeiro tenhamos o desenho do projeto, com as principais dúvidas do ponto de vista econômico tudo resolvido, numa perspectiva de até março, dar início à plantação do cártamo. Alcançando os resultados detectados na pesquisa feita pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, é algo que realmente vai ser muito bom para o Piauí”, esclarece.

Fonte: CCOM

Próxima notícia

Dê sua opinião: