PREMIAÇÃO

Papo Na Obra do MP-PI recebe menção honrosa em premiação nacional de magistradura

Amparo Paz foi uma das 18 finalistas do prêmio com o projeto


Premiação

Premiação Foto: Ascom AMAERJ

O Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (Nupevid) do Ministério Público do Piauí, recebeu, nessa segunda-feira (2), menção honrosa durante a 8ª edição do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos. A promotora de Justiça e coordenadora do Nupevid, Amparo Paz, recebeu a homenagem no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, junto com diversas personalidades da Justiça do país.

Amparo Paz foi uma das 18 finalistas do prêmio com o projeto "Papo Na Obra: construindo a paz no lar", na categoria Práticas Humanísticas. A homenagem foi entregue à promotora de Justiça piauiense pelos filhos da juíza Patrícia Acioli; Mike Acioli Chagas e Maria Eduarda Acioli Chagas, no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

"Quero agradecer a total dedicação do Nupevid no MP-PI, por honrar nossas lutas em defesa das mulheres e o apoio da Procuradora-Geral de Justiça, Carmelina Moura. Parabéns a cada uma das nossas profissionais do Nupevid, em especial, à psicóloga Cynara Veras e à colaboradora Jessica Riedel; também à assistente social do MP-PI, Núbia de Caldas, pela colaboração em nosso projeto, além da grande parceria que temos como o Sindicato da Construção Civil (SITRICOM)", comemora a promotora de justiça Amparo Paz.

Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos

A Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro criou, em 2012, o Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos, com o objetivo de homenagear a memória da juíza Patrícia Acioli, assassinada no ano de 2011, e dar continuidade à luta da magistrada em prol da dignidade humana.

A premiação promove incentivo à valorização dos Direitos Humanos e Cidadania, através do fortalecimento do diálogo entre o Judiciário e a sociedade, com ações de cidadania. O objetivo do Prêmio é defender direitos garantidos na Constituição: o direito à vida, à liberdade, à igualdade e à segurança.

São quatro categorias: Trabalhos dos Magistrados, Reportagens Jornalísticas, Práticas Humanísticas e Trabalhos Acadêmicos.

Fonte: Luara Leandra

Próxima notícia

Dê sua opinião: