ATAQUES

Piauí é acostumado a contracheque e servidão, acusa Firmino Filho

Segundo o tucano, há uma escassez de ideias no Piauí e o retorno de João Vicente Claudino à política proporciona alternativas para o estado


Firmino Filho e João Vicente Claudino

Firmino Filho e João Vicente Claudino Foto: Rômulo Piauilino

O prefeito de Teresina, Firmino Filho, participou na manhã desta sexta-feira (08), da entrega da nova sede do PTB e filiações dos novos quadros do partido. Na oportunidade, o gestor rasgou elogios a João Vicente Claudino, presidente do PTB no Piauí e criticou o que chama de vícios na gestão estadual.

Filho falou que o Brasil passa por uma grave crise econômica e que isso afeta os empreendedores. “É por isso que as nossas pequenas e médias empresas estão com dificuldades financeiras, é por isso que a maioria dos municípios passam por grandes dificuldades, é por isso que os estados sofrem para manter as suas obrigações”, disse.

Contudo, de acordo com o tucano, a crise nacional reflete diretamente no Piauí. Essa crise também tem um recorte no Piauí e aqui não vivemos apenas os efeitos da crise nacional, nós temos também uma crise de ideias no Piauí, uma falta de debate, nós temos desafios imensos, temos problemas econômicos, baixo índice de renda per capita, problemas sociais, na educação, na saúde, problemas ambientais, temos uma escassez de ideias e de sonhos para nosso estado”, afirmou.

Corroborando um possível apoio a João Vicente Claudino, caso o ex-senador venha a disputar a prefeitura da capital em 2020 ou o Governo do Estado em 2022, Firmino se exaltou ainda mais durante sua fala na solenidade.

“O retorno do João [Vicente Claudino] traz exatamente isso, traz ideias, traz propostas, traz futuro, traz discussão sobre a nossa realidade, traz alternativas para o futuro, para que nós possamos fazer muito por nosso estado do Piauí”, ponderou.

Segundo o prefeito, a servidão e a cultura estatizante prejudica o Piauí. “Esse não é um debate qualquer, é qualificado pelo o que João representa, representa empreendedorismo, política social, emprego, desenvolvimento nas forças produtivas do nosso Piauí, tão acostumado a estado, a contracheque, a essa cultura estatizante, precisamos libertas nossas forças produtivas, nossas forças criativas, sair da escravidão e da servidão do estado.

Próxima notícia

Dê sua opinião: